(11) 3107-6119
sbgg-sp@sbgg-sp.com.br

Cuidar de um idoso com câncer traz desafios emocionais também para os cuidadores

O número de cuidadores informais que cuidam de idosos com câncer está aumentando. Os cuidadores podem ser parentes, parceiros ou até mesmo amigos que prestam assistência às pessoas para ajudá-las a funcionar.
A maioria das pessoas idosas com câncer vive em casa e depende de cuidadores informais para apoio ao tratamento do câncer, gerenciamento de sintomas e atividades diárias. A própria prestação de cuidados também pode prejudicar o bem-estar físico e emocional do cuidador, o que torna importante garantir o suporte adequado.
Até agora, nenhum grande estudo avaliou se o cuidar ou não de idosos com câncer avançado está ligado à saúde emocional dos cuidadores ou à sua qualidade de vida. Recentemente, pesquisadores estudaram um grupo de adultos com 70 anos ou mais que tinham câncer avançado (assim como outros desafios). Este estudo utilizou informações de pacientes idosos com câncer avançado e seus cuidadores de clínicas oncológicas locais inscritas no estudo “Melhorando a comunicação em pacientes com câncer e seus cuidadores”, realizado pela Fundação de Pesquisa do Programa de Pesquisa Oncológica do Instituto Nacional de Câncer da Universidade de Rochester entre outubro de 2014 e abril de 2017. Os resultados do estudo foram publicados no Journal of the American Geriatrics Society.
Os pesquisadores aprenderam que os problemas de saúde de pacientes idosos com câncer estavam ligados a uma pior qualidade de vida de seus cuidadores, incluindo pior saúde emocional. Este fato é confirmado por muitos outros estudos, que mostram que os cuidadores podem até mesmo enfrentar mais desafios de saúde emocional (como ansiedade, depressão e angústia) do que as pessoas de quem cuidam, acrescentaram os pesquisadores.
Além disso, a pior saúde do paciente (medida por uma avaliação geriátrica) também foi associada a níveis mais elevados de sofrimento do cuidador.
O cuidador médio do estudo tinha 66 anos, embora 49% dos cuidadores tivessem 70 anos ou mais. A maioria dos cuidadores era do sexo feminino e branco (não hispânicos) e 67% eram cônjuges ou parceiros do paciente que viviam com eles.
Cerca de 40% dos cuidadores tinham doenças crônicas graves. Quase metade (43,5%) disseram ter sofrido de angústia moderada a alta, 19% relataram ter sintomas de depressão e 24% estavam ansiosos.
Curiosamente, cuidadores mais velhos experimentaram menos ansiedade e depressão e melhor saúde mental, disseram os pesquisadores. No entanto, eles estavam com pior saúde física. Ser mulher estava associada a experimentar menos sofrimento. Uma renda de mais de US $ 50 mil por ano também estava ligada a uma melhor saúde física e mental.
Os pesquisadores concluíram que os cuidadores de pacientes idosos com câncer avançado são um grupo vulnerável. Felizmente, existem estratégias que os cuidadores podem incorporar em suas rotinas para ajudar a manter sua própria saúde e bem-estar. Converse com um profissional de saúde sobre seu próprio estresse relacionado ao cuidado. Se preferir, pode pedir para falar em particular, sem que a pessoa de quem cuida esteja presente. Seu médico pode sugerir maneiras de lidar com as dificuldades que você pode enfrentar com o cuidado. Existem estratégias para ajudar em tarefas e desafios específicos, diminuir o estresse do cuidador e melhorar a qualidade de vida.
Traduzido do blog Health in Aging