(11) 3107-6119
sbgg-sp@sbgg-sp.com.br

Mitos sobre o envelhecimento

mito (1)Algumas ideias preconcebidas sobre envelhecimento são muito difundidas. O que não significa que sejam corretas. Confira se você está bem informado sobre o assunto:

MITO 1.  A demência é parte inevitável do envelhecimento.
Fato: A demência deve ser vista como uma condição de saúde e não como parte normal do envelhecimento. Embora ainda não tenha cura, o tratamento pode retardar sua evolução.
Estudos recentes apontam que os mesmos fatores de riscos que podem levar à alta da pressão arterial, colesterol elevado, diabetes e obesidade também podem ser relacionados à doença de Alzheimer ou outras causas de demência.
Portanto, uma maneira de evitar a demência é exercitar corpo e cérebro. Atividade física regular diminui o risco de Alzheimer, especialmente quando conjugada a estímulos intelectuais frequentes, como ler e escrever cartas (ao invés de mandar e-mails).
MITO 2. Se você não se exercitou até agora, é tarde demais começar após os 50 anos ou mais 
Fato: Nunca é tarde demais! Em um estudo americano, 50 homens e mulheres com idade média de 87 anos fizeram atividade com pesos durante 10 semanas, aumentando sua força muscular em 113%. Eles ainda apresentaram aumento na velocidade de caminhada, um marcador de saúde física geral em idosos.
MITO 3. Não há vida sexual na terceira idade
Fato: Um levantamento com mais de 3.000 pessoas com idades entre 57 e 85 anos descobriu que ser sexualmente ativo dependia mais da saúde do indivíduo e do parceiro do que da idade. As mulheres que avaliaram sua saúde como “muito boa” ou “excelente” eram 79% mais propensas a serem sexualmente ativas do que aquelas que classificaram sua saúde como “ruim” ou “regular”. E, embora menos pessoas com idades entre 75 e 85 tiveram relações sexuais em comparação aos de 57 a 74, mais de metade (54%) dos que eram sexualmente ativos tiveram relações sexuais duas ou três vezes por mês.
Apenas lembre-se: As doenças sexualmente transmissíveis não escolhem idade. Portanto, você ou seu parceiro deve usar preservativo caso não esteja em um relacionamento monogâmico.
MITO 4. Envelhecer é deprimente, portanto prepare-se para a depressão
Fato: Depressão é altamente tratável. Basta que a pessoa, em qualquer idade, admita que está deprimida e procure ajuda para ter uma vida muito mais ativa e saudável.
Estudos constataram que as pessoas mais velhas que estão deprimidas são mais propensas a desenvolver problemas de memória e de aprendizagem. Outras pesquisas ligam a depressão a um risco aumentado de morte por inúmeras doenças relacionadas à idade, incluindo Parkinson, acidente vascular cerebral e pneumonia.
MITO 5. As mulheres são as que mais temem o envelhecimento.
Fato: Não é bem assim… Uma pesquisa do National Women’s Health Resource Center, dos Estados Unidos, constatou que as mulheres tendem a ter uma visão otimista sobre o envelhecimento e se inspirar em outras que também tenham atitudes positivas e que permanecem ativas à medida que envelhecem. As mulheres pesquisadas viam o envelhecimento como “uma aventura e uma oportunidade” e não como uma fase deprimente.
MITO 6. A dor e a incapacidade causadas pela artrite são inevitáveis
Fato: Embora a artrite seja mais comum com a idade, por causa do impacto do tempo sobre a cartilagem, ela em si não é a causa da artrite. Há atitudes que você pode ter em sua juventude para evitar esse problema, como manutenção do peso e o uso de sapatos confortáveis.
Um estudo com mulheres que se exercitavam pelo menos uma vez a cada duas semanas durante 20 minutos mostrou que elas eram muito menos propensas a desenvolver artrite do joelho (o local mais comum afetado) do que as mulheres que se exercitavam menos.
Com Healthy Women