(11) 3107-6119
sbgg-sp@sbgg-sp.com.br

Música e exemplo de vida do maestro João Carlos Martins na abertura do GERP.19

“Não existe idade, existe missão na vida”. Foi assim, citando a amiga e atriz Fernanda Montenegro, que o maestro e pianista João Carlos Martins, de 78 anos, concluiu sua fala na Conferência de Abertura do 11° Congresso Paulista de Geriatria e Gerontologia, o GERP.19. O artista emocionou a audiência que lotou o teatro Frei Caneca, na capital paulista, para vê-lo e ouvi-lo. Muitos congressistas não conseguiram entrar no local e acompanharam o evento pela transmissão simultânea em telões.
A apresentação do maestro teve início com um vídeo contando um resumo sobre sua vida – e, em especial, sobre as adversidades pelas quais tem passado e que, hoje, o impossibilitam de tocar piano na velocidade em que fazia em sua juventude – 21 notas por segundo. Pela performance perfeita, em especial das composições de Bach, o artista foi aclamado em todo o mundo. Hoje, com o movimento limitado das mãos, Martins diz que ainda tem “seus polegares”, com os quais tocou duas canções ao piano.
Além de talento e dedicação, o músico é exemplo de resiliência e se reinventa a cada dificuldade que tem surgido em seu horizonte. Impossibilitado de executar as mesmas obras que fazia ao piano, Martins iniciou seu trabalho como maestro em 2003. Desde então já trabalhou com mais de 10 mil jovens carentes e/ou em risco social, transformando muitas vidas. Conta que, no último Natal, recebeu um cartão com os dizeres: “Tio Maestro, Feliz Natal. A música venceu o crime”, deixado na portaria de seu prédio por alguns adolescentes recém-saídos da Fundação Casa e que foram impactados por seu trabalho na Orquestra Filarmônica Bachiana SESI-SP, que reúne em um mesmo grupo jovens carentes dedicados à música e músicos profissionais.
Abertura do Congresso
Antes da apresentação de João Carlos Martins, a diretoria da SBGG-SP abriu oficialmente o 11° Congresso Paulista de Geriatria e Gerontologia, agradecendo e homenageando as gerações de profissionais anteriores que formaram a entidade – e que se engajaram na organização de edições anteriores do GERP.
O momento foi de agradecimento por parte de cada um dos componentes da mesa. Ali estavam as presidentes da Comissão Científica de Gerontologia e Geriatria – a assistente social Mônica Tobias e a geriatra Rosmary Arias –, o geriatra e presidente da SBGG-SP Marcelo Valente, e o fisioterapeuta e presidente de Gerontologia da SBGG-SP, Tiago Alexandre. Também compuseram a mesa o presidente da SBGG Nacional, o geriatra Carlos André Uehara, e a presidente da seção Gerontologia da entidade, a cientista social Vania Beatriz Heredia.
Mônica destacou que o desafio da comissão científica foi montar uma programação que refletisse a heterogeneidade da velhice. “E isso só foi possível por meio da cooperação entre os campos da geriatria e da gerontologia”, disse. A médica Rosmary complementou a fala afirmando que a grade do congresso foi como uma colcha de retalhos feita “a muitas mãos”.
Os representantes da entidade nacional parabenizaram a SBGG-SP pela grandiosidade do evento, anunciaram o Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia, que acontecerá também na capital paulista em 2019, e ressaltaram o momento crítico pelo qual passa o país, como recente decreto presidencial que prevê a extinção do Conselho Nacional dos Direitos do Idoso (CNDI) e outros conselhos e comitês com participação da sociedade civil. “Temos que batalhar pela população idosa. Isso é uma defesa de nosso próprio futuro”, disse Uehara.
Tiago Alexandre destacou a importância do trabalho de toda a equipe da SBGG-SP para realização do congresso, que conta com mais de 200 palestrantes do estado de São Paulo e de outros locais do país, quatro palestrantes internacionais, 534 trabalhos científicos submetidos e cerca de 2.300 congressistas.
O presidente Marcelo Valente deu as boas-vindas aos congressistas e apresentou as novidades trazidas por essa edição do GERP, como a gravação das palestras em alta definição e que serão disponibilizadas na íntegra, a transmissão simultânea das apresentações das cinco salas de Congresso no lounge SBGG, com áudio e telão (para aqueles que não conseguiram entrar na sala escolhida devido a lotação máxima), o Estúdio Aptare, parceria com a Dínamo Editora, que realizará durante os três dias de evento entrevistas ao vivo via Facebook com alguns dos palestrantes, e a premiação em dinheiro para os três melhores trabalhos em Geriatria e três em Gerontologia.
O 11° Congresso Paulista de Geriatria e Gerontologia acontece até o dia 19 de abril, quinta-feira.
Leia mais sobre a cobertura do GERP.19 na próxima edição da Revista Aptare.