(11) 3107-6119
sbgg-sp@sbgg-sp.com.br

Conversas essenciais com seu médico

Doctor talking to senior patientTer conversas regulares com seu médico é uma das chaves para envelhecer com dignidade, independência e poder de escolha. É importante que seu médico tenha a maior quantidade de informações sobre sua saúde atual. Dessa forma, se ela mudar ao longo do tempo, você e seu médico podem pensar num plano individual para ajudá-lo a viver bem e de maneira segura. A melhor forma de começar essas conversas é fazendo perguntas. Seu médico tem a responsabilidade de respondê-las de uma maneira que você consiga entender. Não se esqueça de escrever suas perguntas antes da consulta e levá-las com você. Você pode querer levar algum familiar com você para anotar as respostas enquanto você as escuta.
Você vai encontrar a seguir dez conversas importantes que você deve ter com seu médico para preparar para necessidades que surgirão com as mudanças em saúde à medida que você envelhece.
1. Planeje sempre um check-up anual
O check-up anual é importante para traçar um panorama de seu estado atual de saúde. Durante a consulta de check-up você pode conversar com seu médico sobre sua saúde em geral e criar um plano personalizado baseado em suas necessidades. Se você ainda não fez seu check-up, não se esqueça de agendar com seu médico.
2. Converse sobre seus medicamentos
Mantenha uma lista de todos os medicamentos que você toma, incluindo aqueles isentos de prescrição (como aspirina, remédios para resfriado, etc), fitoterápicos, vitaminas ou outros suplementos. Garanta que alguém de confiança saiba onde você mantém essa lista. Divida uma cópia dessa lista com seu médico em cada consulta e considere levar todos os seus remédios para a visita também. Se seu médico quer prescrever alguma coisa, não se esqueça de perguntar:
– Por que essa nova medicação está sendo prescrita?
– Esse novo medicamento tem efeitos colaterais, especialmente se combinado com outras medicações que estou tomando?
– Há outros alimentos ou atividades que eu devo evitar com esse novo medicamento?
– Devo mudar alguma de minhas medicações ao tomar esse novo remédio?
Se você e seu médico concordarem que a nova medicação é a mais recomendada para você, certifique-se de adicioná-la à sua lista. Se quiser mais informações sobre suas outras medicações, o farmacêutico de plantão também pode ajudá-lo com algumas questões.
3. Fale sobre suas atividades diárias
Informe seu médico se você consegue fazer todas as suas tarefas diárias ou se você precisa de ajuda com atividades importantes como deitar e levantar da cama, preparar refeições, tomar banho ou fazer compras. Se você precisa de ajuda com uma ou mais dessas atividades, essa dificuldade pode estar relacionada a mudanças em sua saúde. Seu médico pode conectá-lo com serviços ou tratamentos que podem ajudá-lo nessas necessidades diárias.
4. Converse sobre maneiras de prevenir quedas
As quedas são a principal causa de ferimentos em idosos. Os principais fatores de risco para quedas são:
– Problemas com medicação
– Problemas com mudanças físicas, incluindo visão e equilíbrio
– Itens que podem causar tropeço na casa ou na vizinhança
Converse com seu médico ou com o farmacêutico para avaliar se alguma medicação que você vem tomando pode causar quedas. Você também pode perguntar ao seu médico sobre exames de visão ou algum exame que avalie marcha e equilíbrio. Se você tem fatores de risco que possam causar quedas em sua casa, como tapetes soltos, seu médico pode indicar serviços que ajudem a fazer as adaptações necessárias antes que uma queda ocorra.
5. Fale sobre seu apetite e alimentação saudável
Se você nota que seu apetite aumentou ou diminuiu ou que você está ganhando ou perdendo peso, fale com seu médico e pergunte sobre formas de garantir que você está recebendo a nutrição necessária para seu corpo. As necessidades nutricionais e o apetite podem mudar com a idade. No entanto, essas mudanças também podem sinalizar alguma condição de saúde, como diabetes, que vai comprometer suas necessidades nutricionais e sua saúde.
6. Discuta sua habilidade de concentração e como você se sente
Todos nós temos “momentos de esquecimento” de tempos em tempos. No entanto, se esquecer de pessoas, lugares e coisas se torna muito comum, ou se você frequentemente se sente confuso, fale com seu médico o quanto antes. A causa pode ser alguma condição de saúde que você desconhece.
Além disso, todos nós passamos por mudanças de humor, incluindo tristeza e luto ocasionais. Porém, se você se sente mais ansioso ou triste do que o normal, ou se tem dificuldades de concentração, ou está passando por mudanças significativas no sono por mais de duas semanas, relate esses sinais ao seu médico também.
7. Fale sobre cuidados especializados para condições crônicas existentes
Se você tem alguma doença crônica que está afetando sua vida diária (como diabetes ou artrite), converse com seu médico sobre um especialista ou serviços especializados que você talvez necessite. Se você e seu médico decidirem que é o caminho correto a seguir, certifique-se de que o especialista mantenha seu geriatra ou clínico geral informado sobre quaisquer mudanças em seus medicamentos ou tratamento para aquela determinada condição.
8. Se você estiver no hospital…
Se você for hospitalizado de maneira inesperada, oriente a equipe médica a manter seu geriatra ou clínico geral informado sobre seu cuidado e planos de alta. Não se esqueça de fazer as seguintes perguntas quando tiver alta:
– Vou precisar de acompanhamento? Em caso afirmativo, com quem e com que frequência?
– Minha medicação mudará quando eu tiver alta? Se sim, como e o que eu devo tomar ou não tomar daqui para frente?
– Existem sinais e sintomas a que eu devo estar atento quando voltar para casa e o que devo fazer quando eles aparecerem?
9. Converse sobre suas preferências e escolhas em relação a saúde quando você não puder mais decidir por si mesmo
É importante que seu médico saiba de suas preferências de cuidado para criar com você o melhor plano para sua saúde e bem-estar caso você perca as habilidades para tomar decisões por si mesmo. Se você designou alguém como seu procurador legal para essa tomada de decisões, seu médico também precisa saber disso. Caso você tenha um testamento vital que descreve seus desejos caso você não consiga comunicá-los, certifique-se de que seu médico tem uma cópia dele. Um recurso interessante é o Registro Nacional de Testamento Vital (Rentev), onde você pode deixar seu testamento vital acessível: www.rentev.com.br
10. Converse sobre serviços em sua comunidade que podem ajudar
Muitas comunidades têm serviços que podem ajudar idosos com necessidades a gerenciar suas condições de saúde. Seu médico pode saber de cursos ou programas que ajudam pessoas com determinadas condições, como controle de diabetes ou grupos de apoio para pacientes com câncer. Seu médico também pode dispor de uma equipe que tem conhecimento de uma variedade de serviços em sua comunidade, portanto seu médico deve estar a par de suas necessidades atuais para se manter bem e ativo.
Com The Scan Foundation