(11) 3107-6119
sbgg-sp@sbgg-sp.com.br

Idosos que consomem álcool em risco para interações medicamentosas

Um novo estudo mostra que mais de 41% dos idosos consomem álcool com frequência e 20% dos idosos usam medicamentos – que exigem prescrição ou não – que interagem com o álcool de maneira regular. Segundo os pesquisadores, quase todas essas interações entre álcool e drogas são de gravidade moderada e alta – podendo inclusive ser mortal.
Red wine pouring into wine glass, close-upNo estudo, publicado no Journal of the American Geriatrics Society, pesquisadores da Universidade de Illinois, em Chicago, examinaram dados de 2.975 adultos entre as idades de 57 e 84 anos de idade. Os entrevistadores perguntaram aos participantes sobre todos os medicamentos que tomaram regularmente, incluindo aqueles que exigiam prescrição, isentos de prescrição, OTC, fitoterápicos e medicamentos alternativos. Os investigadores utilizaram um índice de fármaco padronizado para identificar medicamentos que interagem com álcool e a gravidade da interação.
Para determinar os hábitos de consumo dos participantes, os entrevistadores fizeram uma série de perguntas sobre quantas vezes os participantes bebiam álcool e quanto eles consumiam. Os pesquisadores classificaram os participantes em grupos por quantidade de álcool consumida.

  • Bebedores leves (1 bebida por dia)
  • Bebedores pesados ​​(2 a 3 doses por dia)
  • Bebedores exagerados (mais de 4 doses por dia)

 
Segundo os pesquisadores, o estudo revelou que analgésicos e antidepressivos estão entre os medicamentos mais usados ​​que interagem com o álcool. Eles também observaram que idosos do sexo masculino com múltiplas condições crônicas estavam em maior risco de ter interações de droga-álcool.
Durante o estudo, de 2005 a 2006, os pesquisadores descobriram que 41% dos idosos bebiam pelo menos uma bebida toda semana; homens com idades entre 57 a 64 foram os bebedores mais comuns. Os pesquisadores também constaram que:

  • 17% dos adultos mais velhos eram bebedores leves
  • 20% eram bebedores moderados
  • Menos de 5% eram bebedores pesados ​​ou exagerados

 
Os pesquisadores observaram que os idosos que usam analgésicos, medicamentos para diabetes e drogas psicotrópicas (como antidepressivos e tranquilizantes, por exemplo) eram menos propensos a ser os bebedores regulares, e que as pessoas que eram bebedores pesados ​​ou exagerados eram menos propensos a usar certos medicamentos que interagiam com álcool (tais como aspirina e diabetes drogas).
“Isso sugere que os médicos podem estar perguntando a seus pacientes sobre o seu comportamento de bebida e adaptando suas prescrições de acordo com ele “, observaram os pesquisadores. Uma outra possibilidade é os pacientes que bebem regularmente estarem cientes desses riscos, evitando o medicamento prescrito pelo médico que interage com a bebida.
Os pesquisadores concluíram que os esforços para melhorar o uso seguro de medicamentos em idoso devem se concentrar em garantir que eles estejam cientes dos riscos de saúde associados com medicamentos que interagem com o álcool, especialmente para aqueles que bebem álcool.
Os pacientes devem perguntar ao seu médico sobre os riscos associados a tomar seus medicamentos ou combinações de medicamentos, incluindo OTC medicamentos e suplementos, com álcool, aconselham os pesquisadores.
Com Health in Aging