(11) 3107-6119
sbgg-sp@sbgg-sp.com.br

Nova abordagem coloca o paciente, e não a doença, no centro do cuidado

Colocar as pessoas no centro de sua própria saúde pode parecer intuitivo, mas ainda não é uma abordagem amplamente praticada na comunidade médica. Um painel interdisciplinar de especialistas no cuidado do idoso convocado pela American Geriatrics Society (AGS), em colaboração com a Universidade do Sul da Califórnia (USC) e com o apoio da Fundação SCAN, divulgou no início do mês os resultados de um projeto de pesquisa desenvolvido para melhor definir “o cuidado centrado na pessoa” e os seus elementos principais.
Esta abordagem inovadora para a saúde coloca valores e preferências individuais no centro das decisões de cuidados, medindo o sucesso com base na atenção às metas de saúde e de vida das pessoas. Os resultados da pesquisa, juntamente com um posicionamento do painel de especialistas e um comentário especial publicado no Journal of the American Geriatrics Society, adicionam clareza às características dos cuidados centrados na pessoa, que não tinha uma definição coesa apesar de sua crescente proeminência em pesquisa e nas políticas de saúde.
“Por muito tempo, nosso sistema médico vem se concentrando no tratamento de doenças ao invés de focar no cuidado de uma pessoa com doenças”, explicou Laura Mosqueda, professora de Medicina de Família e Gerontologia na Keck School of Medicine da Universidade do Sul da Califórnia e investigadora principal do projeto. “Os valores defendidos na atenção centrada na pessoa nos lembra da importância de identificar e trabalhar de acordo com as preferências e os objetivos de nossos pacientes. Temos agora uma visão mais clara de como traduzir a aspiração de cuidados centrados na pessoa em uma realidade.”
“O cuidado centrada na pessoa é essencial para idosos com condições crônicas de saúde e limitações funcionais que precisam de cuidados bem coordenados e baseados em equipe”, disse Bruce A. Chernof, presidente da Fundação SCAN. “Este conceito transfere a visão de sucesso de cuidados de saúde para as coisas que mais importam para as pessoas – como eles estão vivendo cada dia com necessidades complexas e atingindo seus objetivos pessoais. Os cuidados centrados na pessoa definem qualidade e valor além de medidas técnicas de cuidado, focando em dignidade, respeito de escolhas pessoais e resultados alcançados de vida.”
Target customerO painel de especialistas da AGS explica que uma abordagem centrada na pessoa começa pela coleta de informações específicas sobre as preferências de uma pessoa à luz das circunstâncias de saúde, com a participação de membros da família e outros cuidadores, se a pessoa desejar. Juntamente com uma avaliação completa de saúde e funcionalidade, essas informações são usadas para ajudar a pessoa a formar e articular seus objetivos de vida e saúde. Essas metas são conduzidas em primeiro lugar pela forma com que uma pessoa quer funcionar e o que ele vislumbra para o bem-estar no futuro.
Para chegar a essa definição a pesquisa incluiu uma ampla revisão da literatura, complementada por entrevistas com líderes em cuidados de saúde de base comunitária e organizações de serviços sociais que relataram prestação de cuidados centrados na pessoa para idosos. A partir deste trabalho, os pesquisadores observaram que:

  • As organizações geralmente definem e operacionalizam o cuidado centrado na pessoa de forma única. Para alguns, ele é focado na criação de “planos individualizados” para atender às necessidades do cliente e da família. Para outros, ela reflete a crença de que o cuidado centrado na pessoa “não é apenas um programa, mas uma cultura … incorporada na prática e orientada para uma missão.”
  • Mesmo à luz de suas diferenças, as organizações que empregam cuidados centrados na pessoa permanecem fortemente comprometidas com a abordagem muito além das palavras. Isso requer, como vários entrevistados observaram, tempo e recursos significativos, mas os efeitos se estendem pelo sistema de saúde: “Os funcionários são capazes de construir a confiança e um relacionamento com os clientes, os clientes melhoram, a equipe se sente bem a respeito dos resultados do cliente”, disse um entrevistado.

 
“Esta pesquisa vai ajudar profissionais de saúde e idosos a compreender tanto como quanto por que o sucesso implica fidelidade a certos elementos-chave da abordagem centrada na pessoa”, observou Steven R. Counsell, presidente da American Geriatrics Society. “As conclusões destacadas ajudam a promover o cuidado centrado na pessoa como uma área. Estamos confiantes de que esta obra vai ajudar os sistemas de saúde e prestadores de implementar práticas centradas na pessoa com o objetivo de melhorar a qualidade dos cuidados para todos, especialmente os idosos com necessidades complexas. ”
Os artigos, publicados online no Journal of the American Geriatrics Society, são de acesso livre. Para conferir o estudo comentado acima, clique aqui.
Com Health in Aging