(11) 3107-6119
sbgg-sp@sbgg-sp.com.br

Predição do risco de pneumonia em idosos

16285-a-female-doctor-examining-an-elderly-male-patient-pvEm um estudo publicado no Journal of American Geriatrics Society, pesquisadores desenvolveram uma “pontuação de predição” para ajudar os profissionais de saúde a determinar quais idosos podem estar em maior risco de desenvolver pneumonia.
A pneumonia é uma das principais causas de doença e morte entre idosos. Cerca de 40% dos pacientes acima dos 60 anos que desenvolvem esse problema são hospitalizados e enfrentam altas taxas de complicações e morte. Os fatores de risco para pneumonia incluem idade avançada, doença pulmonar crônica, tabagismo, baixo peso e problemas funcionais.
Para determinar a pontuação de predição, os pesquisadores estudaram idosos no estudo Adult Changes in Thought (ACT). Faziam parte do grupo 3.392 idosos residentes na área de Seattle com 65 anos de idade ou mais, sem demência e sem problemas cognitivos.
Durante o estudo, 642 participantes foram diagnosticados com pneumonia; dos quais 574 morreram. Os pesquisadores perceberam sete fatores críticos para uma pontuação de previsão de pneumonia:

  • Idade – quanto maior a idade, maior o risco
  • Sexo – masculino
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica (ou DPOC, um grupo de doenças pulmonares que bloqueiam o fluxo de ar e dificultam a respiração)
  • Insuficiência cardíaca congestiva
  • Tabagismo
  • Índice de massa corporal (tanto abaixo como acima do peso)
  • Uso de corticosteroides por inalação ou orais (uma classe de hormônios esteroides usados ​​para tratar uma variedade de condições, incluindo algumas doenças de pele, certas reações alérgicas, asma e dores articulares ou alguma inflamação, entre outras questões de saúde)

 
O principal objetivo do estudo é que os médicos usem essa pontuação de previsão de pneumonia para incentivar os idosos a tomarem a vacina pneumocócica que protege contra a pneumonia, bem como para aconselhar os indivíduos em risco sobre mudanças comportamentais positivas, como deixar de fumar.
O estudo completo foi publicado aqui.
Traduzido de HealthAging.org