(11) 3107-6119
sbgg-sp@sbgg-sp.com.br

Abertura à comunidade idosa de São Paulo

O GERP Comunidade – evento que abre o Congresso Paulista de Geriatria e Gerontologia, agora em sua 11ª edição – aconteceu no Sesc 24 de Maio, no centro da capital de São Paulo, no domingo, dia 14 de abril. A manhã de atividades, realizada em parceria entre a SBGG-SP, Secretaria de Esportes e Lazer da Prefeitura de São Paulo e o Sesc contou com a presença de 166 idosos, vindos de todas as regiões da cidade.
Em seu discurso de abertura da programação, o geriatra Marcelo Valente, presidente da SBGG-SP, falou da importância em aproximar a entidade da comunidade, levando seu cunho científico por meio de eventos para mais pessoas. “É importante mostrarmos os passos para promover a longevidade, e eles estão representados hoje aqui, com boa alimentação, movimento, convívio intergeracional e sociabilização”, disse.
A participação maciça dos idosos foi o ponto destacado pelo fisioterapeuta Tiago Alexandre, presidente de Gerontologia da SBGG-SP. “Todos os idosos convidados pela Secretaria vieram, um grupo bastante representativo dessa população na capital. Importante destacar essa parceria, bem como com o Sesc, que oferece toda a infraestrutura e programação”, afirmou.

WhatsApp Image 2019-04-14 at 12.06.23 PM (1)Dineia Cardoso, supervisora da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer da Prefeitura de São Paulo, ressalta a importância da parceria com a SBGG-SP desde 2015. “É muito importante que os médicos e profissionais de saúde conheçam o trabalho da Secretaria, para que possam ser multiplicadores de nossos serviços, já que a cidade conta com uma população de 14% de idosos. Por outro lado, é essencial que os idosos saibam que há especialistas e que estes valorizam o esporte e o lazer como parte do envelhecimento saudável, porque além do movimento, atividades assim promovem a socialização, dão motivação e assunto para o idoso conversar com a família”, afirmou. “Hoje, por ser domingo, muitos idosos puderam vir, inclusive os homens, que são mais resistentes a participar das atividades que propomos no dia a dia”.

Dulcineia Pimenta, de 66 anos, sabe bem o que é isso. Seu marido, Abrahão Pimenta, de 68 anos, não participa das atividades do Centro Esportivo Balneário Cambuci, que ela frequenta diariamente pelas manhãs para praticar dança e outros esportes. Isso no entanto não significa que ele fique parado – Abrahão caminha 10 quilômetros no Parque Independência todos os dias. “Ele não vai comigo às atividades, mas sempre que tem um passeio ou uma programação diferente, ele me acompanha, como hoje”, contou Dulcineia.
Da Zona Norte da cidade vieram quase metade dos idosos – 89 em dois ônibus. As amigas Adelaide Martins, de 87 anos, Amália Lessa, de 78, com o filho Daniel Fabio Lessa, de 36, Dirce Mancini, de 78 anos, Waldmeire Membribes Ferreira, de 67 anos e Izilda Pimentel de Oliveira Ferreira, de 64, participaram juntos das atividades no SESC 24 de Maio. Izilda atua há 25 anos como coordenadora voluntária de atividades no Centro Esportivo Alfredo Inácio Trindade, no Jardim São Paulo. Agora, após os 60 anos, também virou aluna. “Para nós é muito importante a interação com os profissionais de saúde, porque precisamos de orientação sobre educação alimentar e outros hábitos saudáveis”, disse.
Programação no capricho
O GERP Comunidade teve início às 10 horas do domingo. A primeira atividade foi uma animada dança circular. Às 11 horas, o restaurante do Sesc 24 de Maio foi aberto mais cedo exclusivamente para que os idosos que participaram do evento desfrutassem de um almoço gratuito.
No intervalo entre a refeição e a próxima rodada de atividades, que começou às 13 horas, os participantes puderam circular por todos os 13 andares do prédio (e a maioria dos idosos dispensava o elevador e preferia subir e descer pelas rampas), cujo projeto é do premiado arquiteto Paulo Mendes da Rocha. O 11⁰ andar, onde fica um café, um espelho d’água e que oferece uma bonita vista do centro da cidade, foi o mais disputado.
Às 13 horas, todos estavam prontos para reiniciar as atividades, que foram divididas entre ritmos e expressões corporais, voleibol e jogos de tabuleiros. A maioria optou pela primeira, mas alguns aproveitaram para aprender novos jogos.
WhatsApp Image 2019-04-14 at 12.06.23 PMRegina Maria Kesselring, de 63 anos, decidiu ensinar a colega de atividades físicas do Cambuci, Marise Alves Poderoso, de 62, a jogar Moinho (também chamado Trilha). Ensinou tão bem (e deu tantas dicas) que Marise venceu a segunda partida. Já Sergio Charroche, de 69 anos, e Genibaldo dos Santos Costa, de 76, só se conheciam “de vista” e sentaram-se à mesa para aprender gamão com um instrutor do Sesc. A disputa foi acirrada. “Nunca tinha jogado, muito bacana”, contou Costa.
Para o Sesc, promover uma programação para os idosos, em parceria com a SBGG-SP e a Secretaria de Esportes e Lazer da Prefeitura de São Paulo, é dar oportunidade para que as diversas unidades da rede sejam conhecidas. “A cada GERP escolhemos a unidade do Sesc com muito carinho, porque para nós é importante aproximar os idosos da comunidade para nossas unidades, porque talvez no dia a dia eles não viriam por morarem muito longe”, diz Alessandra Nascimento, assistente técnica da Gerência de Estudos e Programas Sociais do Sesc. “É também uma oportunidade para mostrar a eles e aos profissionais da área de saúde o trabalho que fazemos com esse público.”
Comissão de Eventos e Comunidades
WhatsApp Image 2019-04-14 at 12.53.38 PMA Comissão de Eventos e Comunidades, responsável pela organização do GERP Comunidade, foi formada pelos geriatras Cristiane Comelato e Victor Abrão Zeppini e pela nutricionista Elci Almeida Fernandes.
“É uma programação desenvolvida para que os idosos conheçam e possam colocar mais movimento e socialização em seu dia a dia, não apenas hoje”, falou o geriatra. Elci destacou a importância de que os idosos, a maioria já participantes de atividades da Secretaria de Lazer e Esporte, possam conhecer outras opções de serviços como o Sesc. “Vir em grupo os deixa mais à vontade para circular pelo local, ver o que a unidade oferece e saber que tem mais esse espaço com programação”.
“Queremos trabalhar cada vez mais para mostrar o nosso trabalho para os idosos de São Paulo. E que o GERP Comunidade seja a cada edição mais aberto para esse público”, disse a geriatra Cristiane.