Warning: session_start(): open(/var/lib/php73/session/sess_7ce054f5790ac63188b73423ba48664b, O_RDWR) failed: Permission denied (13) in /home/storage/9/41/79/sbgg-sp/public_html/wp-content/plugins/pixelyoursite/includes/class-pys.php on line 206

Warning: session_start(): Failed to read session data: files (path: /var/lib/php73/session) in /home/storage/9/41/79/sbgg-sp/public_html/wp-content/plugins/pixelyoursite/includes/class-pys.php on line 206
Atenção ao delirium - SBGG-SP

Atenção ao delirium

Pencil with eraserIdosos podem, de repente, apresentar alterações de consciência e confusão mental. Conhecido como delirium, esse quadro não é uma manifestação normal, embora na maioria das vezes seja reversível. “Qualquer alteração súbita da consciência do idoso é considerada grave”, diz a geriatra Luciana Zimmermann de Oliveira, do Ambulatório Cardiovascular da Disciplina de Geriatria e Gerontologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e membro do corpo diretivo da SBGG-SP.
Os sinais mais comuns são dormir demais e falar frases sem nexo, mas agressividade súbita e grande agitação também são manifestações de delirium. Uma das causas comuns é a desidratação, mas há outras possíveis, como infecções, alterações metabólicas, como descompensação de diabetes, reações a medicações, constipação intestinal, dor, infarto e acidentes vasculares cerebrais (AVCs).
“Por isso, tão logo o familiar ou cuidador note qualquer alteração no comportamento do idoso deve levá-lo ao serviço de emergência mais próximo a fim de que a causa seja investigada”, orienta a médica.
A desidratação é bastante comum nos idosos porque eles são mais sensíveis às alterações de temperatura e porque tendem a consumir menos líquidos durante o dia. O resultado é que o quadro de desidratação grave, nessa população, pode ocorrer em poucas horas, principalmente entre os portadores de múltiplas doenças ou fragilidade.
“Não há consenso sobre a quantidade de água a ser ingerida, mas no geral recomendamos 40 ml de líquido por quilo de peso, o que dá uma média de dois litros por dia”, diz a geriatra. “Devemos considerar nessa quantia não só a água, mas também sucos, sopas, gelatinas e frutas, e temos que conhecer as patologias que o idoso possui, pois em alguns casos essa quantidade deve ser maior ou menor.”