(11) 3107-6119
sbgg-sp@sbgg-sp.com.br

Cuidados paliativos podem significar menos transições difíceis para idosos perto do fim da vida

Palliative Care (Pain)Os cuidados paliativos são um tratamento – como medicamentos, apoio nutricional ou terapia, por exemplo – que ajuda o paciente a se sentir melhor no caso de uma doença grave. Eles podem ajudar a aliviar a dor, a insônia, a falta de ar, as náuseas e a perda de apetite. Outras formas desse cuidado, como o aconselhamento, também podem ajudar os idosos e suas famílias a lidar com os desafios emocionais, sociais, práticos e espirituais que podem surgir durante uma doença grave.
Uma equipe de pesquisadores decidiu examinar se os cuidados paliativos poderiam tornar a vida mais fácil para os idosos com doenças graves que vivem em instituições de longa permanência, especialmente quando eles se aproximam do fim de suas vidas. A equipe estudou a conexão entre o tratamento de cuidados paliativos e a necessidade de serviços de emergência ou admissão hospitalar por parte dos residentes muito doentes. Os pesquisadores publicaram suas descobertas no Journal of the American Geriatrics Society.
A equipe de pesquisadores queria identificar e estudar os residentes em ILPIs que receberam cuidados paliativos durante os seis meses anteriores à sua morte. Para isso, eles uniram os dados do Medicare com os dados das avaliações de residentes de ILPIs e visitas de prestadores de cuidados paliativos de 2006 a 2010. Os pesquisadores consideraram as datas de nascimento dos residentes, sexo, questões de saúde e datas da primeira consulta de cuidados paliativos. Eles também estudaram se os residentes foram atendidos em salas de emergência durante os últimos 30 ou 60 dias antes da morte, e se os residentes foram admitidos nos hospitais nos últimos sete, 30 ou 60 dias antes da morte.
Os pesquisadores descobriram que os residentes de ILPIs que tinham tratamento de cuidados paliativos experimentaram taxas mais baixas de hospitalização em comparação com residentes muito semelhantes que não tinham recebido tratamento de cuidados paliativos. Eles também observaram que as taxas hospitalares eram ainda mais baixas para os residentes que tinham consultas de cuidados paliativos mais cedo do que mais tarde na sua doença.
Além disso, transições difíceis também foram menores para os residentes que receberam consultas de cuidados paliativos mais cedo. De acordo com os pesquisadores, as consultas de cuidados paliativos melhoraram o atendimento em ILPI ao final da vida, reduzindo o uso de cuidados de emergência e internações hospitalares.
É importante lembrar que os cuidados paliativos não é a mesma coisa que hospice. Embora ambos proporcionem conforto, o hospice é normalmente recomendado quando alguém recebeu um diagnóstico que irá resultar em morte dentro de seis meses. Tratamentos de cuidados paliativos, por outro lado, pode começar ao mesmo tempo que o médico faz o diagnóstico de uma doença grave e pode ser dado enquanto o paciente está sendo tratado para a doença.
Os profissionais que oferecem cuidados paliativos incluem médicos, enfermeiros, nutricionistas, assistentes sociais, psicólogos, capelães, entre outros.
Com Health in Aging