(11) 3107-6119
sbgg-sp@sbgg-sp.com.br

Febre amarela em São Paulo: quem deve tomar vacina?

Doctor injecting flu vaccine to patient's armA campanha pela vacinação contra a febre amarela na região Norte de São Paulo imunizou mais de 150 mil pessoas apenas no último final de semana e, neste feriado até domingo, dia 5, os postos de saúde locais estarão de plantão. Ainda são muitas as dúvidas sobre quem deve ou não tomar a vacina.
A orientação da Secretaria de Saúde do município de São Paulo é de que apenas as pessoas que vivem e trabalham na zona norte da capital devem se vacinar. Não houve casos de macacos infectados com o vírus em parques de outras regiões, por isso, a campanha é restrita.
Para que aconteça a infecção, é necessário que o mosquito (dos gêneros Haemagogus e Sabethes, no caso da febre amarela silvestre), que vive na copa das árvores pique o macaco infectado e, depois, o homem. Por esse motivo é que os parques da zona norte estão fechados. Os casos registrados em São Paulo são da febre amarela silvestre, e não a urbana, que também é transmitida pelo Aedes Aegypti.
A geriatra Maisa Kairalla, presidente da SBGG-SP, explica que os idosos que vivem ou trabalham nos bairros na zona norte de São Paulo devem ser vacinados. “Mas antes de tomar a vacina é essencial que consultem seu médico”, orienta. Isso porque pessoas com doenças crônicas ou baixa imunidade têm maior risco aos efeitos colaterais (para saber mais sobre os efeitos, clique aqui).
 
Quem já teve febre amarela não precisa se vacinar. Fique atento aos sintomas, que podem variar muito. Na forma mais leve, pode ser confundida com uma simples virose e melhorar espontaneamente, mas em outros casos, pode haver febre com muito calafrio, mal-estar, dor muscular forte, dor de cabeça, vômito e diarreia. Na forma mais grave, pode haver hemorragia e levar a problemas muito mais complicados como hepatite, problemas cardíacos, convulsões e delírios. Portanto, ao surgir qualquer um desses sintomas, em especial entre idosos que vivem ou estiveram próximos às áreas de risco, procure um médico.