(11) 3107-6119
sbgg-sp@sbgg-sp.com.br

Fragilidade pode aumentar o risco de morte entre idosos sobreviventes de câncer

Graças à detecção precoce e melhores tratamentos, sobreviventes de câncer hoje vivem por muito mais tempo depois de seus diagnósticos. Mas para algumas pessoas, os tratamentos que curavam o câncer pode deixá-los com a saúde debilitada.
Em um novo estudo publicado no Journal of the American Geriatrics Society, pesquisadores acompanharam um grupo de 416 idosos sobreviventes de câncer há mais de 11 anos. A idade média dos participantes foi de 72 anos de idade. Os diagnósticos incluíram câncer de mama (26,3%), câncer gastrointestinal (18,4%), câncer geniturinário (21,3%), câncer ginecológico (14,2%), câncer de pulmão (2,7%) e câncer hematológico (2,5%).
senior macht gymnastische bungen,sport, im parkEntre os sobreviventes, 37,3% foram classificados como “pré-frágeis” (alguém que mostra alguns sinais de fragilidade, como baixo peso, caminhada lenta, fraqueza, cansaço, ou baixos níveis de atividade física) e 9,1% foram classificados como “frágeis “(ou exibindo mais das características observado anteriormente).
Participantes pré-frágeis ou frágeis tinham um risco muito maior de morrer prematuramente do que aqueles que eram não-frágeis, segundo os pesquisadores. Começando no momento da inclusão no estudo, aqueles classificados como pré-frágeis sobreviveram uma média de 9,5 anos, enquanto aqueles classificados como frágeis sobreviveram uma média de 2,5 anos. Participantes não-frágeis sobreviveram quase 14 anos, em média, disseram os estudiosos.
A triagem para pré-fragilidade ou fraqueza entre idosos sobreviventes de câncer pode levar a intervenções que poderiam prevenir ou retardar o aparecimento de fragilidade, sugeriram os pesquisadores. Exercício ou atividade física pode ser um meio eficaz para atingir esse objetivo, acrescentaram, uma vez que o exercício é uma forma comprovada de melhorar a velocidade de marcha e o equilíbrio entre idosos, podendo até mesmo reduzir o risco de morte.
“Os sintomas de fragilidade são comuns entre idosos com uma história de câncer e têm implicações importantes para a sobrevivência. Os idosos devem discutir com seus médicos quaisquer sintomas de fragilidade que venham experimentando. O profissional de saúde pode sugerir intervenções, como a atividade física, o que pode diminuir a fragilidade e ajudar a melhorar a saúde e bem estar “, disse Justin C. Brown, MA, do Centro de Epidemiologia Clínica e Bioestatística da Faculdade de Medicina da Universidade da Pennsylvania e coautor do estudo.
Com Health in Aging