(11) 3107-6119
sbgg-sp@sbgg-sp.com.br

Perda dos cinco sentidos é comum entre idosos

É fato conhecido que o envelhecimento pode levar à perda dos sentidos: visão, olfato, audição, tato e paladar. Em estudos anteriores, os pesquisadores descobriram as as consequências de se vivenciar o declínio em um único sentido. Por exemplo, a perda do olfato, da visão e da audição têm sido relacionados a declínio cognitivo, comprometimento da saúde mental e aumento da mortalidade. Perder o paladar pode levar a má nutrição e até mesmo à morte, em certos casos. No entanto, pouco se sabe até agora sobre a perda de múltiplos sentidos. Em um novo estudo, os investigadores examinaram a frequência com que as perdas multissensoriais ocorrem e qual o seu impacto sobre os adultos mais velhos pode ser.
Em um estudo publicado no Journal of the American Geriatrics Society, pesquisadores da Universidade de Chicago analisaram dados do Projeto Nacional de Vida Social, Saúde e Envelhecimento (NSHAP, na sigla em inglês), um estudo de base populacional de adultos com idades entre 57 e 85 anos. O estudo coletou informações sobre os sentidos da visão, tato, olfato, audição e paladar dos participantes, que também puderam ter sua saúde física avaliada.
Os pesquisadores relataram várias conclusões fundamentais:

  • 94% dos participantes experimentaram perda de pelo menos um dos seus sentidos;
  • 67% tinham duas ou mais perdas sensoriais. Daqueles com perdas multissensoriais, 65% apresentaram perda substancial em pelo menos um dos seus sentidos, e 22% experimentaram perda substancial em dois ou mais sentidos;
  • 74% dos participantes sofreram prejuízo em sua capacidade de sentir sabor, que foi a perda sensorial mais comum;
  • 38% dos participantes tinham um tato que consideravam “razoável”; 32%, “ruim”;
  • 22 por cento tinham prejuízo olfativo (19% razoável/3% ruim);
  • 14% tinham visão corrigida considerada “razoável”; 6% a consideravam “ruim”;
  • 13% classificaram sua audição corrigido como “razoável”; 5% a consideravam “ruim”.

A idade avançada foi associada a pior função em todos os cinco sentidos; as maiores diferenças estavam em audição, visão e olfato. Além do mais, os homens tinham pior desempenho em audição, olfato e paladar do que as mulheres, embora tivessem melhor visão. Os afro-americanos e hispânicos tendiam a ter pior função sensorial do que os brancos em todos os sentidos, exceto auditiva. Os hispânicos tendiam a ter uma melhor função no paladar do que os outros grupos.
Segundo a pesquisa, a perda de mais de um sentido pode explicar por que os adultos mais velhos relatam ter uma pior qualidade de vida e encaram desafios na interação com outras pessoas e o mundo ao seu redor. Os pesquisadores sugeriram que novos estudos sobre a perda multissensorial são promissores para o desenvolvimento de melhores programas para prevenir ou tratar a perda e para aliviar o sofrimento causado por essas perdas.