(11) 3107-6119
sbgg-sp@sbgg-sp.com.br

Reflexão sobre o envelhecimento

O tempo ajudou e o domingo frio, porém ensolarado, em São Paulo, reuniu idosos de diversos bairros da capital interessados em discutir o envelhecimento. Mas a faixa etária dos participantes do Educar para Envelhecer, que aconteceu no último domingo, dia 20, no Parque do Povo, foi ampla, porque mesmo crianças e jovens adultos que estavam no local participaram das atividades programadas. Houve caminhada, sessão de Tai Chi Chuan, musicoterapia e dança circular, entre outras.
A abertura do evento contou com a participação da presidente da SBGG-SP, a geriatra Maisa Kairalla, e outros membros da diretoria. Também esteve presente o secretário municipal de esportes, Jorge Damião de Almeida, que destacou a importância do evento e da participação dos idosos. “Essas pessoas que hoje estão aqui são um exemplo de vida. São idosos que participam de atividades físicas e é uma vitória, ainda mais se considerarmos que 50% das crianças em São Paulo não fazem nenhuma atividade esportiva”, disse.
Na abertura, os idosos também puderam pegar o microfone e compartilhar suas histórias e experiências, antes da realização de um alongamento preparatório para uma caminhada pelo parque ao som da banda Cucamonga.

Edvaldo Ferreira dos Santos, coordenador do Fórum do Idoso de Cidade Tiradentes
Edvaldo Ferreira dos Santos, coordenador do Fórum do Idoso de Cidade Tiradentes

Além de aproveitar as atividades, muitos idosos viram no evento uma ocasião para refletir sobre questões relacionadas aos direitos e à cidadania dessa população. “Em 2050 teremos mais idosos do que jovens no Brasil e um evento como esse nos faz pensar na necessidade de sermos ativos, não só do ponto de vista físico, mas também de fazer valer nossos direitos”, disse Edvaldo Ferreira dos Santos, coordenador do Fórum do Idoso de Cidade Tiradentes, na zona leste de São Paulo. “Essa reunião certamente chama a atenção do poder público e isso contribui para mobilizá-lo a favor da população, para que as diversas instâncias governamentais se preparem para o envelhecimento no país”.
As amigas Maria Nazaré Gonçalves Ferreira, de 87 anos, e Maura da Silva, de 77, saíram do bairro de Santana para acompanhar a programação. Maria está há 30 anos envolvida nas atividades esportivas oferecidas pela subprefeitura do bairro. “Educar para o envelhecimento é importante pois faz as pessoas pensarem, se programarem para essa fase da vida”, diz. Já Maura diz que o mais comum é que, ao falar de idosos, as pessoas foquem muito no aspecto da atividade física, no entanto, ela sente falta de informações sobre saúde. “Acho que ainda precisamos de mais eventos e ocasiões em que médicos possam falar conosco sobre as questões de saúde, explicar os problemas mais comuns do envelhecimento. Isso é quase inexistente”, afirma.
As amigas Maria e Maura, do bairro de Santana
As amigas Maria e Maura, do bairro de Santana

É justamente a aproximação da SBGG-SP, formada por profissionais da saúde, com a população idosa em geral do município, um dos grandes méritos de eventos como o Educar, na opinião da presidente da instituição. “Precisamos estar sempre perto dessa população idosa, em especial aquela que tem pouco acesso ao atendimento de saúde de qualidade”, afirma. “Hoje, vemos aqui esses idosos tão saudáveis e engajados. São um exemplo prático do que afirmamos – que 70% da qualidade de vida no envelhecimento depende de cada um de nós, e apenas 30% dos fatores genéticos”, diz.
“É nosso papel como instituição empoderar a população para o envelhecimento e, para isso, é preciso parar para ouvir os idosos. Por isso, a sensação é de dever cumprido”, afirma a médica, destacando a participação dos membros da diretoria da SBGG-SP na organização do evento, que teve o patrocínio da Bayer, Aché SNC, Nestlé HealthScience e Nebzmart, e apoio da Prefeitura de São Paulo e da Agência Veteranos.
Confira fotos do evento aqui: